Lá Fora

Barcelona e Paris exigem mais espaços para passear cães

Barcelona e Paris exigem mais espaços para passear cães

Os habitantes de Barcelona e Paris querem mais áreas ajardinadas nas cidades para passear livremente os cães. Na cidade condal houve recentemente uma manifestação neste sentido, enquanto na capital francesa as autoridades permitiram finalmente a entrada dos animais de estimação em alguns parques públicos.

Cerca de 500 pessoas juntaram-se, recentemente, em Barcelona, Espanha, para reclamarem mais espaços e condições para passear os animais de estimação. Acompanhados pelos respetivos cães, os manifestantes ocuparam a zona entre Plaza Universitat e a Plaza de Sant Jaume, numa jornada sob o lema: "Chega de proibições. Pessoas com cães também são Barcelona".

Uma reivindicação que vem na sequência do que tem acontecido em Paris, onde só no início deste ano a Câmara deu luz verde à entrada de animais em alguns parques públicos da capital francesa.

Na Catalunha, os proprietários dos cães denunciam que a Câmara de Barcelona está a restringir cada vez mais os espaços públicos para que os animais de estimação possam passear livremente e os poucos onde isso é permitido são "pequenos" e "desadequados às suas necessidades". Lembraram, a propósito, que, recentemente, foi completamente banido o acesso de cães a 79 áreas verdes da cidade, mesmo usando trela.

Os organizadores do protesto destacam a contradição de Barcelona ter sido pioneria em Espanha na criação de uma praia para cães e ter construído casas de banho para estes por toda a cidade e depois "aumentar as restrições todos os dias em vez de procurar soluções para a realidade de uma cidade com 150 mil cães".

Em Paris, os donos queixam-se de que, para conseguirem que os seus cães vão um pouco mais além de "um triste passeio na rua" têm de os levar para os arredores, a zonas como o Bois de Boulogne e o Bois de Vincennes. Quem não tem esta hipótese arrisca multa. Perante este quadro, a Autarquia diz que está a passar de "um regime de proibição para um de permissão".

Assim, desde 1 de janeiro, há zonas verdes onde os cães podem passear, mas obedecendo a algumas regras, nomeadamente a obrigação de serem espaços sem parque infantil ou só utilizarem os caminhos pré-definidos para circularem.

Mas, em França, os donos de cães não têm tido vida fácil. Na última semana, foi também anunciado que em Feuquières, uma pequena cidade ao norte de Paris, decretou que quem tiver cães que "ladrem de forma prolongada" será multado em 70 euros