O Jogo ao Vivo

Exclusivo

Cidades mal preparadas para sismos de grande magnitude

Cidades mal preparadas para sismos de grande magnitude

Não se sabe quando, mas abalos de grande magnitude vão acontecer e infraestruturas podem desabar. Falta fiscalização para assegurar qualidade das construções e sensores que permitam lançar alertas E, se as infraestruturas não forem resistentes à ação sísmica, é provável que o número de mortos e feridos seja mais elevado. Também os danos para a economia serão mais avultados.

A questão não é "se", é "quando". Mais cedo ou mais tarde, Portugal vai sofrer um sismo de grande magnitude e as cidades não estão preparadas. Fernando Carrilho, chefe de divisão de geofísica do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), sublinha que "não devemos entrar em pânico", mas "temos de estar preparados, porque vivemos numa zona de perigo sísmico".

Ainda no passado dia 1, um sismo com epicentro a 82 quilómetros de Olhão, de intensidade IV, foi sentido no Algarve e em Espanha. Não teve consequências e não é "indicador de um maior" que se aproxima, tranquiliza Carrilho.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG