Premium

Em Guifões, há comboios velhos que ganham uma segunda vida

Em Guifões, há comboios velhos que ganham uma segunda vida

Seria o cenário ideal de um filme sobre uma cidade abandonada - carruagens vandalizadas, vidros partidos, pintura descascada, ferrugem abundante - mas, com a reabertura das oficinas de Matosinhos, o cinema transforma-se em tratamento de saúde urgente, prioritário, para a ferrovia nacional.

É como se lhe dessem um novo coração, pulmões e pernas para correr ao fim de 80 anos de vida, 20 dos quais ao abandono. Uma espécie de portal do tempo instalado nas oficinas da CP de Guifões, Matosinhos, dá acesso à Schindler vermelha e branca dos anos 40 a brilhar que está pronta para correr mais 400 mil quilómetros. Vai seguir para a linha do Douro e ainda tem janelas que dão para abrir e bancos que rodam a 180 graus. É uma das composições reabilitadas desde que a unidade, encerrada em 2012, reabriu. Foi mesmo há dias.

Os comboios alinhados são antigos, mas o espaço não é de todo um museu. É uma oficina que traz os comboios de novo à vida, para mais 30 anos de serviço de transporte público.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG