Premium

Artes marciais também são para miúdos carenciados

Artes marciais também são para miúdos carenciados

Há um ringue, em Ovar, onde todos têm lugar. No TDCU há miúdos carenciados, vítimas de bullying, toxicodependentes ou alunos com deficiência. Crianças e jovens entram porta adentro, a custo zero, pelas mãos do casal João Botelho e Isabel Cristina, mestres de artes marciais, que os transportam da rua para o ginásio.

Este é um local especial, onde se ensina a respeitar, a par de técnicas de defesa pessoal e combate urbano.

As portas do TDCU, espaço da Associação Portuguesa de Técnicas de Defesa Pessoal e Combate Urbano, estão abertas das 16 às 21 horas. Para "todos os que queiram aparecer". O projeto existe desde 1998, quando o mestre João Botelho, antigo campeão mundial de combate total, quis dar oportunidade a crianças sem recursos de praticar desporto.