Companhia Ilimitada

Meias com bolso para caneleiras fazem sucesso

Meias com bolso para caneleiras fazem sucesso

A Inbictum - em homenagem à Invicta - foi criada em Barcelos por dois jovens empreendedores do Porto e aposta nos chamados têxteis inteligentes, funcionais e técnicos. O produto de maior sucesso é a meia com bolso para caneleira, usada, por exemplo, pelo avançado do Sporting de Braga, Dyego Sousa.

Nasceu no Porto, mas por lá apenas ficou alguns meses. É mais a norte, em Barcelos, que se encontra um dos pulmões do têxtil no país e foi isso que levou Hugo Miranda, de 29 anos, e Susana Meireles, de 36, a mudarem-se para a cidade do galo. Mas não foram sozinhos. Com eles levaram a empresa que criaram há cerca de um ano e meio. A Inbictum - em homenagem à Invicta - aposta nos chamados têxteis inteligentes, funcionais e técnicos.

Hugo e Susana partilham a ideia de que é ao ouvir um potencial cliente que poderão encontrar o caminho a seguir. E foi isso que aconteceu com a criação de uma meia com um bolso para a caneleira. Depois de falarem com vários atletas, perceberam que um dos seus grandes desafios estava nos pés, ou melhor, nas pernas. "Era um problema que eu já conhecia em miúdo e vi que, passados alguns anos, ainda não tinha solução. Os jogadores usam uma espécie de "manguitos" ou fita-cola, mas as caneleiras continuam a escorregar e a rodar. Por outro lado, no caso da fita-cola, pode haver o estrangulamento do gémeo", explica Hugo Miranda.

Identificado o problema, faltava a solução. Depois de diversos testes, e da criação de variados protótipos, os jovens empreendedores chegaram ao modelo que agora está em produção. Trata-se de uma meia que é de compressão, antiderrapante, com zonas preparadas para a diminuição de impacto e, claro, tem o tão desejado bolso, para que a caneleira encaixe e não se mexa durante 90 minutos. E já haverá quem a esteja a usar? Susana garante que sim. "Dyego Sousa, jogador do Braga, usa sempre as nossas meias. Aliás, no primeiro hack-trick que fez, estava a usá-las. Se calhar foi pela qualidade das meias", acrescenta Hugo Miranda, entre risos.

Através de uma campanha de crowdfunding internacional, os empresários pretendiam angariar cinco mil euros, verba com a qual dariam início ao projeto. Na verdade, conseguiram um pouco mais e, por isso, a produção está já em curso. Cada par custa entre os 30 e os 35 euros.

"Neste momento, estamos a dar resposta às várias encomendas que recebemos durante a campanha", garante Susana Meireles.

Mas este está longe de ser um projeto único da Inbictum. Em estudo está já a criação de uma caneleira maleável. Feita de uma espécie de borracha, que protege igualmente a perna ao "absorver até 90%" em caso de impacto

Outras Notícias