Lá Fora

Paris regista diminuição histórica de viagens diárias em automóvel

Paris regista diminuição histórica de viagens diárias em automóvel

Um estudo recente revela que, desde 2010, há menos 700 mil viagens diárias em veículos particulares na Área Metropolitana da capital francesa. Um declínio histórico, que assinala, por outro lado, uma transferência de automobilistas para os transportes públicos.

As viagens em automóvel particular estão a diminuir na zona de Île-de-France - Área Metropolitana de Paris -, com um declínio histórico de 700 mil deslocações diárias desde 2010, revelam os primeiros resultados de um estudo sobre a matéria, há dias revelados. Assinale-se que esta é a primeira vez desde o pós-guerra que se regista uma inflexão na tendência de crescimento do uso de viaturas particulares.

Uma realidade que, segundo a Île-de-France Mobilités, entidade que regula o trânsito da Área Metropolitana de Paris, pode ser explicada por vários fatores. Por um lado, os idosos estão a movimentar-se menos, por outro as zonas bem servidas por transportes públicos registam maior procura.

Apesar de representarem apenas 4% do total de viagens diárias, em alta estão também as bicicletas (+30% de deslocações desde 2010) e as trotinetas elétricas, que no ano passado registaram cerca de 130 mil utilizações por dia.

O estudo confirma, por outro lado, uma transferência do carro próprio para o transporte público, já que autocarros, metro e comboio viram aumentar 13%, de 8,3 milhões para 9,4 milhões, o número de passageiros transportados diariamente.

Para Valérie Pécresse, presidente do Governo regional de Île-de-France, os números revelados por este estudo são um dos efeitos da política de transporte que implementou desde a sua eleição, no final de 2015: "Fortalecemos o serviço de autocarros na grande coroa e desenvolvemos os elétricos nas coroas pequena e média".

E a redução das deslocações em automóvel particular não se limita à cidade de Paris, mas estende-se igualmente aos subúrbios. "O sentimento dos viajantes mudou nas linhas do Transilien [comboio urbano], que tem agora novas composições, mais confortáveis e com ar condicionado", sublinha Valérie Pécresse.

A responsável acrescenta ainda que acredita na bicicleta elétrica, "perfeitamente adaptada aos subúrbios e às suas costas" e recorda que, recentemente, lançou o Véligo, um serviço de aluguer de bicicletas a longo prazo.

Na Área Metropolitana de Paris vivem 12 milhões de pessoas, mais do que a população total de Portugal