Lá Fora

Praias de Barcelona serão a maior área desportiva da cidade

Praias de Barcelona serão a maior área desportiva da cidade

Aproveitar os 16 quilómetros de praias da cidade, distribuindo por toda a orla marítima infraestruturas que vão promover a atividade física e desportiva na água, na areia e em espaços públicos, é a meta do projeto "Pavilhão Azul", que a Câmara Municipal de Barcelona acaba de lançar.

O "Pavilhão Azul" não terá bancadas. "A sua cobertura será o céu, as paredes o mar e a cidade" resumiu, na apresentação do projeto, o vice-presidente da Câmara de Barcelona, Jaume Collboni, vincando a intenção de aproveitar o entorno natural da cidade para a prática desportiva.

O plano resulta de um processo participativo promovido pela Autarquia da segunda cidade espanhola, através de um grupo de trabalho constituído por vários representantes no projeto através das suas instalações, centros e entidades cívicas, de bairro e desportivas.

No seu site oficial, a Câmara de Barcelona explica que as 200 propostas decorrentes do processo participativo resultaram numa medida governamental que se concretizará no período 2022-2030, com um investimento inicial previsto de 26,7 milhões de euros, e que consta do Plano Estratégico para os espaços do litoral, um marco de ação urbana, económica e ambiental.

Este plano assegura, também, uma ligação com a chamada "economia azul", a que o desporto está ligado através de atividades como a construção, manutenção e reciclagem de embarcações de recreio, a organização de eventos desportivos, a formação de atletas de elite e outras atividades económicas.

Por outro lado, a reordenação dos usos e dos espaços permitirá travar a saturação da zona, sobretudo das praias, que se acelerou com a pandemia e as restrições dela decorrentes. Entre outras, o fecho de ginásios e outras infraestruturas fez com que muita gente passasse a praticar desporto ao ar livre.

PUB

Ora é precisamente por esse crescimento do número de praticantes que Barcelona sentiu a necessidade de adotar critérios de regulamentação e delimitação das zonas mais procuradas, por forma a permitir, e até incentivar a prática desportiva generalizada.

"Estamos a dar um passo em frente para revolucionar as utilizações desportivas do litoral. democratizando e socializando desportos ou modalidades que até agora eram vistos como alheios ou de elite e que deveria ser o contrário", sublinhou David Escudé, vereador do Desporto na Câmara da Cidade Condal, na apresentação do projeto.

Outra das metas deste mega projeto é dar um ar mais familiar e desportivo ao Porto Olímpico, uma das "bandeiras" da cidade, que, segundo a Câmara, facilitará ainda "a entrada de empresas e iniciativas ligadas à economia azul".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG