Exclusivo

"Preços das casas em Braga não são os que esperava"

"Preços das casas em Braga não são os que esperava"

Conceição Ribeiro não escolheu a Universidade do Minho como primeira opção, mas agora já não se vê a sair de Braga, onde quer terminar o curso, enquanto trabalha em part-time. Gosta da cidade, mas lamenta o custo da habitação. Dentro do campus, destaca a qualidade dos serviços, como a cantina, a preços "acessíveis"

Conceição Ribeiro, 19 anos, saiu de uma vila em Santa Maria da Feira, em setembro do ano passado, para ir estudar "numa cidade grande". A Universidade do Minho, em Braga, não foi a sua primeira opção, mas agora já não se vê a mudar de academia, mesmo que aponte falhas às condições da residência e do campus de Gualtar, onde frequenta o primeiro ano de Engenharia Química e Biológica.

Antes dos desafios da vida universitária, a primeira "surpresa" foi mesmo com o custo de vida na cidade. "Os preços das casas não eram os que eu estava à espera. Para os apartamentos de melhor qualidade pediam perto de 300 só por um quarto", recorda a estudante, assumindo que acabou por ter de se inscrever na residência universitária, "a última hipótese" que encontrou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG