Lá Fora

Reconhecimento facial avança nas ruas de Londres

Reconhecimento facial avança nas ruas de Londres

Depois dos períodos de teste, sistema de câmaras para identificar pessoas nas ruas vai mesmo ser implementado, apesar de algumas críticas de grupos cívicos, que se mostram preocupados com a privacidade. Polícia argumenta que é só um meio de auxílio ao seu trabalho.

As câmaras de reconhecimento facial vão começar a ser implementadas em Londres, confirma a Polícia Metropolitana da capital britânica, que explica que a tecnologia passou a fase de testes e está pronta para ser permanentemente integrada no policiamento diário, de acordo com a BBC News.

A medida está longe de ser consensual e tem aberto discussão acalorada sobre o direito à privacidade dos cidadãos. Grupos cívicos como o Big Brother Watch, alertam que as liberdades democráticas sairão prejudicadas. "Esta decisão representa uma enorme expansão do estado de vigilância e uma séria ameaça às liberdades civis no Reino Unido", afirma Silkie Carlo, diretora daquela organização, num comunicado em que considera que "a tecnologia de reconhecimento facial oferece ao Estado um poder sem precedentes para rastrear e monitorar qualquer um de nós".

Indiferente às críticas, a Polícia Metropolitana de Londres (PML) explica que as câmaras serão colocadas em locais populares, como o shopping Westfield de Stratford e o West End. Cada câmara irá procurar rostos contidos em listas de suspeitos, nomeadamente "indivíduos procurados por crimes graves e violentos", explica a Polícia.

Num comunicado à Imprensa, a PML adianta que, quando uma câmara sinaliza um indivíduo, os agentes aproximam-se e pedem a sua identificação. Se este constar na lista de suspeitos, será detido. "Este é um sistema que simplesmente dá aos agentes um aviso, sugerindo que aquela pessoa pode ser alguém que está a ser procurado", descrevem os responsáveis policiais.

No mesmo documento, a PML sublinha que a tecnologia será implantada em locais onde os dados indicam que possam estar localizadas pessoas responsáveis por crimes graves e violentos, como ataques de armas e facas ou a exploração sexual de crianças.

O uso do reconhecimento facial pela Polícia já é usado no Reino Unido, mas até agora estava limitado a pequenos julgamentos e eventos públicos, como espetáculos e jogos de futebol. "Temos o dever de usar novas tecnologias para manter as pessoas seguras em Londres", conclui o comissário assistente Nick Ephgrave no comunicado.

Outras Notícias