Sardinhas e festas de Lisboa em máscaras contra covid-19

Sardinhas e festas de Lisboa em máscaras contra covid-19

Garantir a proteção da população e simultaneamente manter a sua ligação afetiva aos símbolos de Lisboa, em pleno mês das festas, é o objetivo da Junta de Freguesia de Santo António.

Num ano em que, pela primeira vez em muitos séculos, Lisboa não sairá à rua neste junho, o mês de todas as festas na cidade, a Junta de Freguesia de Santo António (JFSA) quis aproveitar as condicionantes impostas pela pandemia para dar às pessoas um "cheirinho" a sardinhas, ou não fossem estas o símbolo mais tradicional desta época do ano na capital. Simultaneamente, a sua distribuição vai de encontro ao objetivo maior, que é garantir ao máximo a proteção de todos.

"Tínhamos de assegurar máscaras às pessoas para se protegerem quando saem à rua e seriam precisas muito mais unidades se fossem das cirúrgicas. Além disso, o investimento era maior, pelo que optámos por comprar das reutilizáveis", explica ao JN Urbano Vasco Morgado, presidente da Junta de Santo António.

Daí a associar este utensílio hoje indispensável ao "novo normal" às festas de Lisboa foi um passo. "Além dos efeitos da pandemia da covid-19 nas suas vidas diárias, sentimos que as pessoas estão tristes agora que entramos em junho e percebem que não vai haver mesmo as festas de Santo António, que sempre fizeram parte das suas vidas. Por isso, optámos por mandar fazer máscaras com sardinhas, que são o ícone maior da época. Depois fomos juntando outros símbolos, como o próprio Santo António ou o coração da cidade", adianta o autarca.

Vasco Morgado explica que a principal preocupação é garantir a segurança, até porque naquela freguesia central de Lisboa há ainda muita gente confinada devido à idade, que precisa de se proteger bem nas (poucas) saídas à rua.

"A reação das pessoas quando recebem as máscaras é muito boa. Nota-se que ficam mais felizes, por poderem usar os símbolos da cidade no rosto", observa, sublinhando que a JFSA teve ainda a preocupação de escolher uma empresa portuguesa para o fabrico dos materiais.