INE

Esperança de vida aumenta para 80,80 anos

Esperança de vida aumenta para 80,80 anos

A esperança média de vida à nascença aumentou para 80,80 anos: 77,78 anos para os homens e 83,43 anos para as mulheres no período entre 2016-2018, revelou esta sexta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE). No biénio analisado a maioria dos óbitos (65,4%) aconteceu a pessoas com mais de 80 anos.

Comparativamente com o biénio anterior, os valores da esperança de vida à nascença representam um aumento de 0,48 meses para os homens e de 0,24 meses para as mulheres. A variação traduz um abrandamento já que, entre 2015-2017, se registou um aumento da esperança de vida de 1,56 e 0,96 meses, para homens e mulheres, respetivamente. No espaço de uma década, o aumento para a globalidade da população foi de um ganho de 2,06 anos de vida (2,29 anos para os homens e 1,62 anos para as mulheres).

As mulheres continuam assim a viver mais tempo mas a diferença relativamente aos homens tem vindo a diminuir. Para o período 2016-2018, o INE estima que 36,7% dos recém-nascidos do sexo masculino e 58% das meninas sobrevivam à idade de 85 anos. Há dez anos, essa estimativa era, respetivamente, de 29% e 50%.

O boletim divulgado esta sexta-feira pelo INE revela que entre 2016-2018, a maioria dos óbitos (65,4%) aconteceu em idades iguais ou superiores a 80 anos. Foi neste grupo etário que se concentrou cerca de metade da mortalidade masculina (55,2%) e três quartos dos óbitos das mulheres (75%). "A idade mais frequente ao óbito para homens foi 86 anos e para as mulheres 88 anos, quando há dez anos era" 85 e 87 anos, respetivamente.

Outros Artigos Recomendados