Congresso

Ex-líder concelhio do PSD defende referendo à eutanásia

Ex-líder concelhio do PSD defende referendo à eutanásia

O ex-líder da concelhia de Lisboa Paulo Ribeiro defendeu este sábado que "face ao impasse" na questão da eutanásia, o PSD deveria colocar no seu programa eleitoral a realização de um referendo sobre a matéria.

Numa intervenção perante o 39.º Congresso do PSD, Paulo Ribeiro considerou que existe "um impasse entre a Assembleia da República e a Presidência da República" quanto à despenalização da morte assistida e, por isso, recomendou que o partido volte ao tema na próxima legislatura, depois de o último Congresso ter aprovado uma moção temática sobre o tema.

"Face ao impasse que se verifica, faria todo o sentido voltar a colocar na agenda para a próxima legislatura o referendo sobre a eutanásia, e que o PSD o incluísse de forma expressa no seu programa", apelou.

Já sobre regionalização, Paulo Ribeiro defendeu que o PSD não deveria ir atrás da "casca de banana" colocada pelo PS, que quer fazer deste um tema central da próxima campanha eleitoral, deixando igualmente uma proposta.

"Não é um tema consensual no nosso eleitorado (...) Proponho que haja um compromisso dos órgãos nacionais para que, caso se coloque a questão do referendo, seja convocado um congresso extraordinário para discutir a questão da regionalização", defendeu.

O ex-líder da concelhia de Lisboa, que apoiou Rio em 2020 e Paulo Rangel nas diretas de novembro de 2021, deu os parabéns aos dois candidatos.

A Rio, por ter dado "um exemplo de liderança e coragem" de ir a eleições num cenário "que lhe era adverso".

PUB

"Deu um exemplo a todos nós, que quando acreditamos temos de ir à luta", afirmou, desejando-lhe sucesso para as eleições de 30 de janeiro "para que possa ser o próximo primeiro-ministro de Portugal".

Cansaço da governação Costa

O ex-líder da concelhia agradeceu também a Rangel pelo contributo que deu para o debate interno.

"Que no dia 30 de janeiro, Rui Rio possa dar os parabéns a Paulo Rangel porque estas eleições diretas terão contribuído decisivamente para que o dr. Rui Rio possa ser eleito primeiro-ministro de Portugal", afirmou.

Paulo Ribeiro fez ainda um paralelismo entre a vitória do PSD nas autárquicas em Lisboa e o clima nacional, dizendo haver já "um cansaço nacional com a governação de António Costa".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG