Tancos

Exército confirma que foi furtado mais material de guerra

Exército confirma que foi furtado mais material de guerra

O Exército, confirmou, esta sexta-feira, que foi furtado mais material de guerra em Tancos, além das 100 granadas de mão de que se soube na quinta-feira.

O Exército afirmou, esta sexta-feira, que além das 100 granadas de mão noticiadas esta quinta-feira, desapareceram de Tancos, ainda, granadas foguete anticarro, explosivos, munições de 9 milímetros, bobines de arame, gás lacrimogéneo, disparadores e iniciadores".

As armas e munições desapareceram de instalações circundadas por dois perímetros de rede, um exterior e um interior, "ininterruptos e iluminados", mas estavam sem vigilância eletrónica.

Em face deste furto, os EUA pediram reforço de segurança para a embaixada norte-americana em Lisboa, noticia a SIC Notícias.

Em comunicado, o Exército esclareceu que o sistema de videovigilância, "cuja cobertura é apenas parcial para uma área onde estariam os materiais mais relevantes, encontra-se inoperacional".

O Exército afirmou que face à "preocupação em reforçar e complementar a segurança física" das instalações, os Paióis estavam "contemplados no plano de implementação de vigilância e controlo de acessos eletrónico" que "nos últimos anos tem sido implementado no Exército".

"No caso concreto dos Paióis Nacionais de Tancos, a Lei e Programação Militar previa a disponibilização de verbas em 2018", refere o comunicado.

PUB

O Exército admitiu que aquelas vedações careciam de renovação "pelos anos da rede exterior" e tinha iniciado "os mecanismos legais para a adjudicação da obra, "de forma faseada e com verbas da Lei de Programação Militar".

Segundo o Exército, a renovação do perímetro exterior a oeste decorreu no primeiro semestre do ano, encontrando-se já concluída.

Quanto ao restante perímetro, a adjudicação do restante perímetro foi solicitada pelo Exército a 8 de março de 2017, tendo sido autorizada a 5 de junho pelo ministro da Defesa Nacional, num despacho publicado hoje em Diário da República.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG