corrupção

“Face Oculta”: Sócrates confirma telefonemas ao “amigo” Vara

“Face Oculta”: Sócrates confirma telefonemas ao “amigo” Vara

Primeiro-ministro confirma telefonemas com Armando Vara, apanhados nas escutas do processo “Face Oculta”. Questionado sobre a confiança do Governo no presidente da REN, José Sócrates sublinha que “as pessoas em causa são arguidas, não acusadas”.

“Fiz uma chamada (para Armando Vara). Faço chamadas para os meus amigos e vou continuar a fazê-las”, declarou o primeiro-ministro, José Sócrates, à saída do debate sobre o Programa do Governo, no Parlamento.

O semanário “Sol” escreve na sua edição de hoje, sexta-feira, que várias conversas entre o líder socialista e Armando Vara foram interceptadas nas escutas do processo “Face Oculta”.

Questionado sobre se acha que o querem envolver neste processo contra a corrupção, o primeiro-ministro respondeu: “Com certeza”.

“Espero que a justiça funcione”, frisou José Sócrates, referindo: “Entristece-me porque (é um processo) envolve um amigo de há muitos anos”, referindo-se mais uma vez a Armando Vara.

Sobre a legitimidade de José Penedos continuar à frente da REN, sendo arguido do processo, o chefe de Governo sublinhou: “as pessoas em causa são arguidas e não acusadas. Compete a cada uma decidir o que deve ou não fazer”.

O Governo decidirá após a conclusão da auditoria que foi lançada às empresas com capitais públicos envolvidas no processo, acrescentou.

"O único desejo que um político deve expressar é que a justiça funcione e que se persiga a corrupção, se a houve. Aqueles que devem velar pelo cumprimento da lei, combatendo as ilegalidades e a corrupção, devem agir", declarou o primeiro-ministro.

"E a lei deve ser aplicada doa a quem doer. Espero que a investigação e o desenvolvimento do processo se faça, que a justiça funcione, que quem deve acusar que acuse e quem se deva defender se defenda e que os tribunais julguem", frisou ainda José Sócrates.