Covid-19

Falha na vacinação no Queimódromo vai dar origem a relatório interno

Falha na vacinação no Queimódromo vai dar origem a relatório interno

A vacinação no Queimódromo do Porto, depois de uma falha no processo de conservação das vacinas, vai continuar suspensa e o caso está a ser investigado e vai dar origem "a um relatório interno" de averiguação.

Esta garantia foi dada esta segunda-feira aos jornalistas por António Lacerda Sales, secretário de Estado Adjunto e da Saúde, durante uma visita à região do Vale do Sousa, onde inaugurou as novas instalações da Unidade de Saúde de Lustosa, em Lousada, e visitou as instalações do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, em Penafiel.

Segundo o secretário de Estado, depois de ter sido suspenso na última semana o processo de vacinação devido a uma falha no processo de conservação das vacinas, o caso foi entregue "às autoridades inspetivas", estando a ser feita uma investigação pela Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS). "A própria Administração Regional de Saúde vai promover um inquérito interno relativamente aos procedimentos", explicou, acrescentando que agora resta aguardar os resultados.

Contudo, segundo António Lacerda Sales, "o importante é que ninguém ficou por vacinar e todas as pessoas que estavam agendadas para o Queimódromo foram agendadas para outros locais e esse problema não se colocará".

Evidência científica é a "melhor resposta" para os negacionistas

PUB

Questionado ainda sobre os insultos que foram dirigidos ao coordenador da task force, Henrique Gouveia e Melo, no sábado à noite, em Odivelas, o governante referiu que "as pessoas são livres de pensar de maneira diferente", e que a evidência científica é a melhor resposta que se pode dar aos negacionistas. "A melhor resposta que eu posso dar aos movimentos negacionistas é com ciência e tudo aquilo que é evidência científica", referiu António Lacerda Sales, acrescentando que "a vacinação já evitou muitos milhares de óbitos e muitos milhares de internamentos e doença grave".

"Ao Ministério da Saúde cabe informar, esclarecer, sensibilizar a população para que as pessoas possam decidir livremente, quer em termos de saúde própria, quer em termos de saúde de terceiros", concluiu.

Jovens deram "uma grande lição de maturidade"

Em Lousada, onde inaugurou as novas instalações da Unidade de Saúde de Lustosa, um equipamento que representou um investimento de mais de 318 mil euros, António Lacerda Sales afirmou que a vacinação continua a ser a grande prioridade do Governo para o futuro. "Acelerarmos e completarmos a vacinação", frisou, falando ainda do "extraordinário resultado" atingido este fim de semana, com a vacinação de 160 mil jovens (80%) com idades entre os 16 e os 17 anos. "Foi uma grande lição de maturidade destes jovens. Espero que essa lição de consciência cívica e de maturidade que estes nossos jovens nos deram, que se transmita agora para as faixas mais jovens", dos 12 aos 15 anos, que vão ser vacinadas nos dois próximos fins de semana.

O governante deu ainda nota de que já foram administradas em Portugal 13 milhões de doses de vacina contra a covid-19 - 75% primeiras doses e 65% vacinação completa - e que o objetivo é ter 70% da população com a vacinação completa no final do mês de agosto e atingir os 80% no final de setembro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG