Pandemia

Famílias pressionam lares para autorizar saídas

Famílias pressionam lares para autorizar saídas

O presidente da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS) quer que o dia 2 de maio, Dia da Mãe, seja o dia de reencontro entre os idosos que vivem em lares e as famílias.

"Tudo se encaminha para que os utentes dos lares comecem a sair, quer para estar com os familiares, quer para passear", disse ao JN Lino Maia, presidente da CNIS.

"Gostaria que no primeiro domingo de maio já pudéssemos falar de saídas de pessoas para, em família e com alguns cuidados, celebrarem o Dia da Mãe", defende.

Com a vacinação a decorrer, o responsável pela CNIS acredita que, "daqui a um mês e meio", os idosos já estarão todos vacinados, bem como os funcionários das instituições. Na comunidade, também haverá cada vez mais gente a fazer a vacina. Lino Maia diz que as famílias estão a fazer "uma grande pressão" para que os lares autorizem a saída dos idosos sem que tenham de fazer quarentena no regresso à instituição. "As saídas não estão proibidas mais obrigam os utentes a ficar confinados após o regresso ao lar", frisou.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) não se pronunciou sobre este tema. Está para breve a implementação de mudanças no regime de visitas e saídas dos lares e a DGS apenas refere que as orientações "estão a ser atualizadas, mediante a evolução da situação epidemiológica e a informação científica disponível".

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG