Santuário

Fátima mantém regras para receber emigrantes

Fátima mantém regras para receber emigrantes

A lotação do Santuário de Fátima ainda está a ser decidida em articulação com a DGS. A Semana Nacional das Migrações inicia-se no domingo e termina a 15 de agosto.

A cinco dias do início das celebrações religiosas dos dias 12 e 13 de agosto, o Santuário de Fátima e a GNR ainda estão a limar os últimos pormenores, relativos ao número de peregrinos que serão autorizados a entrar no recinto e à operação de segurança. A situação epidémica será determinante para a tomada de decisões, com base nas recomendações da Direção-Geral de Saúde, apurou o JN.

À semelhança dos anos anteriores à pandemia, prevê-se que, este ano, volte a haver uma grande afluência de emigrantes, não só nos dias previstos para as celebrações, mas sobretudo no dia 15, feriado em que se assinala a Ascensão de Nossa Senhora. Nesse sentido, a 49.ª Semana Nacional de Migrações começa amanhã e prolonga-se até ao dia 15 de agosto.

Como medidas destinadas a proteger a saúde pública, o Santuário de Fátima mantém os círculos desenhados no chão, para garantir o distanciamento entre pessoas que não são da mesma família, e o controlo nos oito postos de entrada no recinto. Será ainda obrigatório o uso de máscara e continua a ser recomendado aos fiéis a higienização regular das mãos. Pelo segundo ano consecutivo, não haverá vigília noturna.

Face ao acesso limitado dos peregrinos, Eugénia Quaresma, diretora da Obra Católica das Migrações, recomenda o acompanhamento das celebrações de 12 e 13 de agosto através dos meios de comunicação social, informa o Santuário de Fátima. A peregrinação dos emigrantes será um dos pontos altos da Semana das Migrações, que terá como tema "Rumo a um "nós" cada vez maior".

"É tempo de reconstruir a partir de um tempo forte de espiritualidade como aquele que nos oferece este Santuário, altar do Mundo, onde sentimos que temos mãe a quem confiar as nossas angústias, chorar as nossas mágoas, retemperar as nossas energias, renovar a nossa esperança", defende Eugénia Quaresma, citada pelo Santuário de Fátima.

Quatro grupos inscritos

PUB

Presidida pelo cardeal Jean-Claude Hollerich, de 61 anos, arcebispo do Luxemburgo, que dirige a Comissão das Conferências Episcopais da União Europeia, a peregrinação aniversária de agosto assinala a quarta aparição de Nossa Senhora aos três videntes, a única fora da Cova da Iria, nos Valinhos. Até ao momento, estão inscritos quatro grupos: dois de Espanha, um da Polónia e outro da Alemanha.

As celebrações religiosas iniciam-se no dia 12 com a recitação do Rosário, às 21.30 horas, cerimónia a que se seguirá a Procissão das Velas e, depois, a Celebração da Palavra, no altar do recinto. No dia 13, as cerimónias iniciam-se às 9 horas, com a oração do Rosário, a que se seguirá uma missa, uma hora mais tarde, com a tradicional Palavra ao Doente, que será proferida por Eugénia Quaresma. A peregrinação termina com a Procissão do Adeus.

Mensagem do Papa

A inclusão e a fraternidade são dois temas da mensagem deste ano do Papa Francisco para o Dia Mundial do Migrante e Refugiado, assinalado a 26 de setembro, que a Obra Católica Portuguesa para as Migrações recupera para a peregrinação anual a Fátima.

Procurar os perdidos

"Hoje, a Igreja é chamada a ir ao encontro das periferias existenciais, para curar os feridos, procurar os perdidos, sem preconceitos ou medo, sem proselitismo, para ampliar a sua tenda para acolher todos", defende o Papa, num vídeo.

Férias em Portugal

O cardeal Jean-Claude Hollerich estava de férias em Portugal quando recebeu a notícia de que iria presidir à peregrinação dos emigrantes. Esta é a segunda vez que tal sucede. A primeira foi em agosto de 2013.

Trigo para N. Senhora

Um dos rituais da peregrinação de agosto consiste na entrega de trigo a Nossa Senhora, no momento do ofertório da missa do dia 13 de agosto, prática iniciada há 81 anos pelos paroquianos de Leiria da Ação Católica.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG