PSD

Ferreira Leite diz que o governo iludiu e agora “é tempo de pagar a factura”

Ferreira Leite diz que o governo iludiu e agora “é tempo de pagar a factura”

“Um processo legítimo” e sem “intenções malévolas”, foi como Manuela Ferreira Leite confessou ter encarado o pedido para a realização do congresso extraordinário por parte de um grupo militantes, com Santana Lopes à cabeça.

A líder desmentiu, por isso, qualquer pretensão da Comissão Política de interferir na ordem de trabalhos do conclave. “Terá valido a pena se resultar um melhor esclarecimento sobre o que está em causa nos próximos anos”, concluiu.

Ferreira Leite puxou depois dos galões em matéria económica, para explicar que a actual situação financeira do país “era previsível e era evitável”, passando a enumerar os erros do Governos.

“Passada a glória dos anúncios e das inaugurações, ficará uma enorme factura a pagar pelos cidadãos”, referiu. O mesmo diagnóstico que traçou há dois anos no congresso de Guimarães, lembrou.

“Propaganda e promessas delirantes provocaram uma espécie de névoa sobre a realidade”, disse, afirmando que são já poucos os que acreditam no Executivo. Tudo o que foi previsto foi confirmado pelo Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC). “Hoje é tempo de pagar a factura”, afirmou.

A presidente social-democrata falou ainda do PEC e da perspectiva de não serem melhores os anos posteriores a 2013.O “desespero” leva ao aumento de impostos para três milhões de portugueses e à desfaçatez do Governo dizer que não vai o fazer: “Agora os portugueses têm de gerir a desilusão”, assinalou.

“Nunca quiseram ouvir os nossos avisos e agora reclamam o nosso consenso”, aludiu, dizendo que as medidas de austeridade só são necessárias por causa da má governação.

Mas em nome do interesse nacional e da imagem do país nos mercados externos, o PSD não votará contra o PEC.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG