Investigador

Festa do Sporting pode ter provocado aumento de casos de covid-19 em Lisboa

Festa do Sporting pode ter provocado aumento de casos de covid-19 em Lisboa

A grande concentração de pessoas, muitas sem máscara, e sem distanciamento social na festa do título do Sporting, a 11 de maio, pode, na opinião do investigador Óscar Felgueiras, ser a razão para o aumento de casos de covid-19 em Lisboa.

Em declarações ao JN, o matemático, especializado em epidemiologia, considera que "não é assim tão cedo" para se fazer esta ligação. Recorde-se que entre os festejos do título de campeão nacional e os dados divulgados esta sexta-feira pela DGS passaram oito dias. E que o tempo de incubação para a doença pode ser entre sete a 14 dias.

"Há uma forte plausibilidade. Ou seja, o que se verifica é que na cidade de Lisboa existiu, nesta última semana, um comportamento diferente daquele que ocorre nos quatro concelhos vizinhos, que têm incidências que são metade ou um terço" do que se verifica em Lisboa.

Os dados da Direção-Geral da Saúde, que analisam a incidência cumulativa de 6 a 19 de maio, atribuem a Lisboa uma taxa de incidência de 118 casos por 100 mil habitantes. Na semana passada eram 81. O concelho de Loures, por exemplo, aumentou de 21 para 37 casos e a Amadora subiu de 29 para 39.

"Isto foi uma diferença que se acentuou nesta última semana. E, para isto acontecer num concelho tão populoso como é Lisboa, quer dizer que algo de diferente no comportamento da população aconteceu, que não tem paralelo com o que está a acontecer no resto do país e mesmo na região de Lisboa e Vale do Tejo. A maior parte dos concelhos não teve este comportamento", explica o professor da Universidade do Porto.

Os dados do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) atribuíram esta sexta-feira uma taxa de transmissibilidade (Rt) acima de 1 - mais concretamente 1,11 - a Lisboa e Vale do Tejo. Sendo a única região do continente a ultrapassar a marca.

"É uma subida muito concentrada na cidade de Lisboa. O Rt nacional está acima de 1 por causa de Lisboa e Vale do Tejo. E o comportamento de Lisboa e Vale do Tejo está muito dominado" pela situação de Lisboa.

PUB

O investigador destaca que nesta região o concelho com maior incidência é o da Golegã, com 243 casos por 100 mil habitantes. "É um concelho pequeno, cinco mil habitantes, que tem 13 casos em 14 dias. O de Lisboa é o segundo com maior incidência (118 por 100 mil), o que significa 600 casos em 14 dias".

Para Óscar Felgueiras, o que aconteceu de diferente no concelho, além dos festejos, foi a subida do fluxo de passageiros no aeroporto de Lisboa, fruto do alívio das restrições em outros países. "Mas isso aconteceu na segunda-feira e não tem tempo para ter impacto agora", disse

Se esta taxa de incidência aumentar para cima de 120 casos por 100 mil habitantes na próxima semana, o concelho de Liboa entra em situação de alerta, arriscando, se a situação assim permanecer por duas semanas, recuar nas medidas de desconfinamento.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG