Covid-19

Funcionária do lar de Reguengos testa positivo após quatro negativos

Funcionária do lar de Reguengos testa positivo após quatro negativos

Uma funcionária do lar onde teve origem o surto de covid-19 de Reguengos de Monsaraz recebeu, na sexta-feira, um teste positivo, depois de quatro resultados negativos entre 18 e 28 de junho.

A profissional da Fundação Maria Inácia Vogado Perdigão Silva (FMIVPS) encontrava-se em vigilância ativa em casa desde 22 de junho e é o único novo caso positivo a registar na atualização do boletim epidemiológico divulgado hoje pela Autoridade de Proteção Civil de Reguengos de Monsaraz.

Apesar do novo teste positivo, o número de casos ativos do surto diminuiu para 130 (eram 131 na sexta-feira), o que se explica com dois novos casos curados na comunidade, que elevam para 16 o número total de casos curados relacionados com este surto.

Foi também o terceiro dia consecutivo sem registo de novos casos de infeção na comunidade e o segundo sem registo de qualquer vítima mortal num surto que já causou a morte a 16 pessoas (14 utentes, um funcionário do lar e uma pessoa da comunidade).

Assim, no que diz respeito ao lar da FMIVPS mantêm-se 66 casos ativos (14 óbitos) entre os utentes e 20 entre os profissionais (um óbito e cinco curados), enquanto na comunidade há a registar 44 casos ativos (um óbito e 11 curados).

No Hospital do Espírito Santo de Évora continuam internados nove utentes do lar, cinco dos quais em cuidados intensivos. Na mesma unidade encontra-se o único caso de infeção comunitária a inspirar cuidados hospitalares.

Os números referem-se a um universo de cerca de 2030 testes com resultados conhecidos até ao final do dia de sexta-feira.

O surto, de acordo com a Autoridade de Saúde Púbica, encontra-se "em resolução" desde que não existam novas cadeias de contágio desconhecidas, mas só será considerado extinto ao fim de 28 dias sem novos casos positivos relacionados com as cadeias ativas.

Outras Notícias