Nacional

Gaffe: Seguro acusa Governo de "ausência de insensibilidade" por "exigir a quem mais ganha"

Gaffe: Seguro acusa Governo de "ausência de insensibilidade" por "exigir a quem mais ganha"

O líder do PS, António José Seguro, anunciou, ao princípio da tarde, que o grupo parlamentar socialista irá apresentar uma taxa extra de 3,5% de IRC sobre as empresas com lucros acima dos dois milhões de euros, para aplicar já no próximo ano.

Além desse diploma, que ainda está em preparação, Seguro adiantou que o PS irá voltar a propor que a sobretaxa adicional no subsídio de Natal preveja isenções para rendimentos iguais ou superiores ao valor de 1,5 salários mínimos.

Ao justificar a apresentação destes diplomas, o líder socialista acusou o Governo de "insensibilidade social" e desafiou Pedro Passos Coelho a "voltar atrás" e dar instrução ao grupo parlamentar do PSD para viabilizar as iniciativas do PS.

Na conferência de Imprensa, na sede do PS no Largo do Rato em Lisboa, em que apresentou as propostas,Seguro cometeu alguns erros de dicção, que provocaram algumas 'gaffes' no discurso.

Por exemplo, quando acusou o Governo de "exigir a quem mais tem e a quem mais ganha",demonstrando uma "ausência de insensibilidade social".