Exclusivo

Gastou 8000 euros para tratar obesidade

Gastou 8000 euros para tratar obesidade

A Sociedade Portuguesa para o Estudo da Obesidade (SPEA) e a Associação de Doentes Obesos e Ex-obesos de Portugal (Adexo) insistem na importância de reduzir as listas de espera para cirurgias e comparticipação dos medicamentos para dar resposta aos milhares de pessoas que aguardam tratamento.

Esta quarta-feira celebra-se o Dia Mundial da Obesidade e, em Portugal, mais de metade (62%) da população é obesa ou pré-obesa, de acordo com um estudo divulgado em fevereiro pelo Instituto Ricardo Jorge. A SPEO diz que a tendência é de crescimento.

"Os nossos maiores problemas são as listas de espera, que continuam longas, e a comparticipação dos medicamentos para as pessoas que não estão indicadas para cirurgia que não existe", disse Carlos Oliveira, presidente da Adexo, sublinhando que "há pessoas que desistem dos tratamentos porque os medicamentos são muito caros".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG