Censos sénior

GNR volta ao terreno para sinalizar idosos que vivem sozinhos ou isolados

GNR volta ao terreno para sinalizar idosos que vivem sozinhos ou isolados

A partir desta sexta-feira e ao longo de todo o mês de outubro, os militares da GNR vão andar de porta em porta para identificar os idosos que vivem sozinhos ou isolados. A operação "Censos Sénior", iniciada em 2011, visa sensibilizar e alertar os mais velhos para o risco de crimes, burla e furto. No ano passado, os militares sinalizaram mais de 44 mil idosos.

A operação, denominada Censos Sénior 2022, vai envolver cerca de 400 militares das secções de prevenção criminal e policiamento comunitário da GNR. O objetivo passa por "priorizar e privilegiar um conjunto de ações e patrulhas junto da população idosa e com maior vulnerabilidade", de forma a "reforçar os comportamentos de segurança" e "reduzir o risco de os idosos se tornarem vítimas de crimes". As situações de maior vulnerabilidade são reportadas às entidades competentes, nomeadamente ao setor de apoio social e ao setor da saúde.

"A Guarda tem vindo a atualizar a sinalização geográfica desta população, proporcionando assim um apoio mais próximo e dirigido, contribuindo, por um lado, para a criação de um clima de maior confiança e de empatia entre os idosos e os militares da GNR e, por outro, para o aumento do sentimento de segurança", lê-se num comunicado.

PUB

O major Hernani Martins, da divisão de comunicação e relações públicas da GNR, reforça a importância desta ação. "É muito importante [sabermos quem são e onde vivem]. Até porque, ao longo desta operação, a Guarda tem parcerias com entidades que permitem, depois, o encaminhamento de certas situações", destacou o major.

A iniciativa arrancou em 2011 e, desde então, nunca mais parou. No ano passado, foram sinalizados 44 484 idosos a viverem sozinhos, isolados ou em situação de vulnerabilidade. Trata-se do terceiro ano com mais pessoas identificadas. Vila Real foi o distrito com mais idosos referenciados nestas condições (5 191 idosos). Seguiram-se a Guarda (5 012), Viseu (3 543), Faro (3 521), Bragança (3 343) e Portalegre (3 130). Já o distrito com menos idosos a residirem sozinhos foi o do Porto (946), seguido de Lisboa (1 125).

Em 2021, a GNR realizou ainda 172 ações de sensibilização em sala e 3 431 ações porta a porta, abrangendo um total de 19 812 idosos. Durante as ações, explicou ao JN o major Hernani Martins, os idosos são alertados para situações de risco. É o caso das burlas. "No fundo deixamos conselhos para a não adoção de comportamentos de risco", reiterou.

O major deixa ainda alguns conselhos aos mais velhos para que consigam ter a certeza de que, ao longo de outubro, são os militares da GNR que estão a bater-lhes à porta. "Muitos dos nossos idosos já conhecem os nossos militares. Além disso, os nossos militares vão perfeitamente uniformizados com o fardamento da GNR, com viaturas caracterizadas e com as insígnias", referiu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG