Covid-19

Gouveia e Melo diz que é "um erro" não tomar a vacina

Gouveia e Melo diz que é "um erro" não tomar a vacina

O coordenador da task force do plano de vacinação considera ser "um erro" não tomar a vacina. Numa visita, neste sábado de manhã, ao centro de vacinação de Gondomar, onde estão a ser vacinados professores e funcionários das escolas, o vice-almirante Henrique Gouveia e Melo afirmou que "é muito mais perigoso não ter a vacina do que ter".

"Não ser vacinado significa ser um em 600 portugueses que no ano passado morreu. Um em 600. Se a pessoa quer estar nesse totoloto, acho que não é uma boa solução", exemplificou o coordenador da task force. Recorde-se que cerca de cinco mil pessoas recusaram esta convocatória para serem vacinadas.

"A população está suficientemente informada sobre isto. Mas se as recusas aumentarem ou houver um forte movimento negacionista, teremos de reforçar as mensagens no sentido de esclarecer as pessoas sobre qual é a vantagem de ser vacinado", adiantou ainda o responsável.

Sobre eventuais efeitos colaterais relacionados com a toma da vacina, Gouveia e Melo sublinhou que "um caso em um milhão é diferente de um caso em 600". E salientou: "as pessoas têm de perceber de que lado querem estar. Porque não vacinar não é 'eu estou numa bolha, isolado, e consigo fugir ao problema'. Não. Não vacinar é estar, no ano passado, num em 600".

Durante a visita ao Pavilhão Multiusos de Gondomar, Gouveia e Melo elogiou o processo de vacinação que ali decorre. "A minha avaliação é muito positiva. Vejo um espaço muito bem organizado, vejo profissionais muito empenhados e um fluxo de pessoas a serem vacinadas em que não há filas de espera, em que tudo está a correr muito bem. Fico muito animado com este processo, porque é o grande teste para vacinarmos 100 mil pessoas todos os dias", disse.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG