Estudantes

Governo quer triplicar alunos em Erasmus

Governo quer triplicar alunos em Erasmus

O Governo quer que "1 em cada 3 jovens que termine o 3º ciclo tenha tido uma experiência de Erasmus". O objetivo é triplicar o número de estudantes portugueses que vão para fora, atingindo a meta de 30 mil estudantes por ano.

O Governo tem disponível um investimento de 26 200 milhões de euros e 2200 milhões de euros de instrumentos externos da UE.

O investimento para o período 2021/2027 é quase o dobro do realizado no período 2014/2020 (14 700 milhões). Com este investimento, o Governo quer triplicar o número de estudantes portugueses que vão para fora. O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, afirmou esta quarta-feira que, no último ano antes da pandemia (2019), participaram cerca de 10 mil alunos portugueses no programa Erasmus.

"Isto foi pouco. É um percurso que nos deve orgulhar, mas não chega", acrescentou. A meta é mobilizar 30 mil estudantes portugueses por ano e que "1 em cada 3 jovens que termine o 3º ciclo tenha tido uma experiência de Erasmus", disse. Para esse objetivo Manuel Heitor considera muito importante que o Erasmus comece antes do ensino superior.

Covid pode ser entrave

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, presente na sessão, realçou a vertente inclusiva do programa, que pode mobilizar professores, alunos, atletas, grupos de estudantes informais. Para o ministro, a pandemia não será um entrave no funcionamento do projeto. "Haverá alguma hesitação no início, mas tem de ser potenciada e incentivada essa experiência.". "Tenho a certeza que este universo de mobilidade vai ser o primeiro a dizer presente".

Manuel Heitor invocou o sentimento de cidadania europeia afirmando que "o Erasmus, para além de facilitar a mobilidade (...) tem na sua génese a construção de uma cidadania europeia que não pode ser abandonado", disse

PUB

Os ministros realçaram as vantagens do programa Erasmus+ na formação e desenvolvimento dos estudantes e aquisição de "soft skills". "Não é por acaso que aqueles que têm Erasmus têm estatísticas de empregabilidade mais elevadas", afirmou Manuel Heitor. O ministro da Educação realçou a importância do contacto com alunos que vêm de fora. Através da sua experiência pessoal, enquanto estudava em Coimbra, relembrou que o seu primeiro contacto com o Erasmus foi através de alunos externos. O ministro afirmou a importância de diversificar os destinos e expandir o programa, promovendo a mobilidade não só para grandes cidades, mas também para zonas rurais.

O evento de lançamento do Novo Programa Erasmus+ 2021/2027 decorreu esta quarta-feira online e contou com a presença do ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, e os senhores Secretário de Estado Adjunto e da Educação, João Costa, da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo, da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Sobrinho Teixeira e do Trabalho e Formação Profissional, Miguel Cabrita.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG