Covid-19

Governo recomendou a mulher de infetado que não fale com jornalistas

Governo recomendou a mulher de infetado que não fale com jornalistas

Intenção é impedir alarmismo na população. Emanuelle Maranhão diz que não se cala, enquanto o marido não for transferido para um hospital.

Casada com o primeiro português infetado com o coronavírus, Emanuelle Maranhão revelou ao JN que o Governo lhe recomendou que não falasse com a comunicação social, para não alarmar a população. Apesar disso, a mulher do tripulante do Diamond Princess, atracado desde o dia 3 de fevereiro ao largo do Japão, garante que não se vai calar. "Bem podem tentar".

Indignada com o facto de o marido continuar confinado ao espaço da cabina do navio, sem receber assistência médica, Emanuelle Maranhão afirma que "as autoridades japonesas, a Princess [Cruises] e a embaixada querem esconder o caso", para atenuar o impacto negativo que esta situação está a ter.

Emanuelle Maranhão explica que a prova da falta de consideração pelo marido, Adriano Maranhão, é que esteve a trabalhar, sem parar, todos os dias desde 13 de dezembro, apesar de o navio ter entrado em quarentena para os passageiros. "Puseram em risco a saúde dos tripulantes", denuncia. "O meu marido contraiu o vírus por negligência do navio."

Há três dias fechado na cabina, o estado de saúde do canalizador do Diamond Princess agravou-se. "Está mais irritado, debilitado, cansado, e está outra vez com febre. À noite, sente-se sempre pior." Hoje, foi autorizado a sair durante duas horas, embora apenas na parte de cima do navio, à semelhança de outros tripulantes com o coronavírus. De manhã, foi medicado com paracetamol, mas não voltou a tomar mais medicação, para não esconder os sintomas.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG