Pandemia

Governo remete uso de máscara no recreio das escolas para DGS

Governo remete uso de máscara no recreio das escolas para DGS

Será a Direção-Geral da Saúde a especificar os detalhes sobre a continuação da obrigatoriedade do uso de máscara em determinados contextos, nomeadamente em meio escolar. A meta dos 85% de vacinados deverá ser alcançada em três semanas. E está prevista uma nova reunião no Infarmed.

Questionada esta quinta-feira, em conferência de imprensa, sobre se o Governo vai esclarecer as circunstâncias em que as máscaras continuarão a ser obrigatórias, Mariana Vieira da Silva notou que, atingidos os 85% de vacinação em Portugal e deixando de ser obrigatório o uso de máscara na rua (nas situações em que se verificava essa obrigatoriedade), cabe à Direção-Geral da Saúde "detalhar" os casos em que essa utilização deve continuar a ser feita.

"Deixando de ser obrigatória a máscara na rua, aquilo que teremos são recomendações da DGS sobre as situações em que a máscara deve continuar. Cabe à DGS detalhar essas circunstâncias. Já antes da aprovação da lei existiam essas recomendações", lembrou Mariana Vieira da Silva.

No que diz respeito à aparente indefinição em torno da utilização da máscara no recreio das escolas, a ministra reforçou que "o referencial é conhecido e cabe agora à Direção-Geral de Saúde e ao Ministério da Educação dar resposta às dúvidas", notando que existe "uma estrutura de acompanhamento" que reúne as duas esferas.

Ouvida na quarta-feira numa comissão parlamentar na sequência de um requerimento do PSD, juntamente com dois peritos da Direção-Geral da Saúde, Graça Freitas disse que pode haver uma "flexibilização" do uso da máscara, mas ressalvou que há locais e contextos onde esta deve continuar a ser usada, nomeadamente eventos, aglomerados e escolas, incluindo nos recreios e na zona exterior.

85% de vacinados em três semanas

A meta dos 85% de vacinados em Portugal será atingida, no máximo, nas próximas três semanas, estimou a ministra de Estado e da Presidência. "Tenho condições para dizer que provavelmente dentro de três semanas atingiremos esse valor e que, nesse momento, o Governo estará em condições de tomar as decisões, tendo já nessa altura ouvido os peritos" na sede do Infarmed, afirmou Mariana Vieira da Silva, na conferência de imprensa realizada no final do Conselho de Ministros. Advertindo que ainda "não se pode assumir" que "existirá um fim de restrições", Mariana sustentou que "é necessário que o debate técnico exista para que se tomem decisões".

PUB

A ministra recordou que a previsão feita em julho apontava para que 85% da população estivesse vacinada no início de outubro, considerando que o calendário "é relativamente próximo" dessa data e que pode até ser antecipado "talvez uma semana". "Eu não tenho condições neste momento para dizer se será ainda em setembro ou no início do outubro", frisou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG