Vulnerabilidade

Graça Freitas promete investigar falha que expôs dados de utentes

Graça Freitas promete investigar falha que expôs dados de utentes

A diretora-geral de Saúde afirmou, esta segunda-feira, que vai "investigar profundamente" a falha na plataforma informática da DGS, que expôs dados pessoais dos portugueses. Graça Freitas acredita que a informação privada não foi violada, mas não pode garanti-lo.

A vulnerabilidade escondida na plataforma do Sistema de Vigilância Epidemiológica (Sinave) permitia extrair dados pessoais detalhados da população, como o nome completo, morada, número de telefone, data de nascimento e número de identificação fiscal (NIF), noticiou esta segunda-feira o Público.

Não se sabe se a vulnerabilidade chegou a ser explorada, ou seja, se terá caído nas mãos de algum cibercriminoso. Refira-se que este tipo de informação vale milhões de euros no mercado negro online (dark web).

PUB

Quando a falha foi detetada, em março último, foi corrigida em três dias úteis, avançou o jornal.

Em entrevista à RTP, Graça Freitas quis deixar "uma palavra de segurança e descanso" às pessoas que, "em princípio, não serão lesadas". Em princípio, porque "nunca sabemos o que está por detrás destes ataques", afirmou, assegurando que vai "investigar profundamente se houve alguma fuga".

A diretora-geral da Saúde referiu ainda que muitos dos dados chegam à DGS anonimizados. "Tanto quanto sei as pessoas n​ão foram afetadas", disse.

A plataforma Sinave foi criada em 2014 para registo por parte dos médicos das doenças de declaração obrigatória. Em março de 2020, os doentes com suspeita de covid-19 e os resultados dos testes laboratoriais passaram a ser registados no Sinave.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG