Ambiente

Greta Thunberg é recebida por políticos, dá conferência de imprensa e segue para Madrid

Greta Thunberg é recebida por políticos, dá conferência de imprensa e segue para Madrid

O presidente da comissão parlamentar de Ambiente, o deputado do BE José Maria Cardoso, vai receber na terça-feira de manhã a ativista ambiental sueca Greta Thunberg à chegada a Lisboa, na Doca de Santo Amaro

Segundo fonte oficial dos bloquistas, para além de José Maria Cardoso (presidente da Comissão de Ambiente, Energia e Ordenamento do Território), estará na receção a Greta Thunberg a deputada Maria Manuel Rola e o vereador na Câmara de Lisboa, Manuel Grilo.

A ativista ambiental sueca anunciou no sábado que a sua chegada a Lisboa estava prevista para a manhã de terça-feira, antes de viajar para Madrid para participar na cimeira sobre as Alterações Climáticas (COP25).

"Dia 18. Estamos a caminho da Europa. O dia previsto para a chegada é terça-feira de manhã. Vamos chegar à Doca de Alcântara, Lisboa. Esperamos encontrar-vos aí!", referiu a jovem ativista, de 16 anos, em mensagem no Twitter.

Em comunicado enviado à Lusa, a ZERO (Associação Sistema Terrestre Sustentável) divulgou a mensagem de Greta Thunberg.

À chegada, a jovem ativista vai ser ainda recebida pelo presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, estando ainda prevista uma conferência de imprensa no local, indicou ainda a associação.

De acordo com o comunicado do Porto de Lisboa hoje emitido, "a jovem defensora das causas ambientais, que se desloca no veleiro ecológico 'La Vagabonde', desembarca na doca de Santo Amaro, onde está previsto prestar declarações pelas 10:00".

A COP25, que começou hoje e se realiza até 13 de dezembro na capital espanhola, foi transferida de urgência, em 01 de novembro para Madrid, depois de o Chile ter anunciado que renunciava à sua organização, devido a um movimento de contestação social sem precedentes no país.

A transferência foi proposta pelo chefe do governo socialista espanhol, Pedro Sánchez, para "garantir" a realização do encontro, apesar do enorme desafio logístico que isso implicava: preparar em apenas um mês um evento que vai reunir 25.000 participantes de cerca de 200 países, entre diplomatas, ONG (organizações não governamentais) e cientistas.

A cimeira sobre Alterações Climáticas realiza-se anualmente numa região diferente do mundo, tendo calhado desta vez à América Latina a sua organização, depois da última vez ter tido lugar no leste Europeu, mais precisamente na Polónia.

Inicialmente, a conferência deveria ter-se realizado no Brasil, mas, acabado de ser eleito Presidente, Jair Bolsonaro renunciou em novembro de 2018 à sua organização devido a "restrições fiscais e orçamentais", tendo o Chile assumido a presidência do evento.

Greta Thunberg cruzou o Atlântico de barco para participar numa cimeira prévia da ONU em Nova Iorque (convocada pelo secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, em setembro passado) e na COP25 no Chile, mas a alteração inesperada do local obrigou-a a voltar a embarcar, desta vez num catamarã, para fazer a viagem ao contrário e chegar a tempo a Madrid, sem ter de apanhar um avião, e com passagem por Lisboa.