Habitação

Há 160 famílias com rendas acessíveis e maioria é de Lisboa

Há 160 famílias com rendas acessíveis e maioria é de Lisboa

Quase metade dos arrendatários paga entre 300 e 500 euros mensais. Grande Porto tem 10% dos contratos.

Quase metade das 160 famílias beneficiárias do programa de arrendamento acessível está a pagar entre 300 e 500 euros de renda mensal. Só 8% dos arrendatários suportam uma mensalidade superior a 800 euros. Esta iniciativa, que integra a Nova Geração de Políticas de Habitação, ganhou maior expressão este ano. Entre fevereiro e 21 de maio, foram celebrados 83 dos 160 contratos.

A maioria das casas (76%) arrendadas abaixo do valor do mercado fica na Área Metropolitana de Lisboa. Cerca de 10% dos 160 contratos são no Grande Porto. Corresponde, então, aos concelhos do país onde as famílias de rendimentos médios têm maior dificuldade em encontrar habitações a preços comportáveis nos seus orçamentos familiares.

O Ministério das Infraestruturas e da Habitação especifica que 43% dos arrendatários do programa desembolsam entre 300 e 500 euros por mês. "36% beneficiam de uma renda entre os 500 e os 800 euros, 12% pagam um valor mensal inferior a 300 euros e 8% suportam uma renda acima dos 800 euros", acrescenta o ministério ao JN.

Nove mil candidatos

O programa de arrendamento acessível foi criado há um ano (com a publicação do decreto-lei) e vigora desde 1 de julho de 2019. O interesse entre as famílias foi notório. A plataforma, gerida pelo Instituto de Habitação e Reabilitação Urbana, reúne 9317 candidatos. Contudo, está longe de ter capacidade de dar resposta a tamanha procura. O stock de habitações disponíveis é bastante inferior.

Contam-se, ainda assim, 591 alojamentos registados. Um terço dessas habitações (199) foram disponibilizadas entre fevereiro e maio. Aliás, fevereiro foi o melhor mês do programa até ao momento, com a entrada de 84 imóveis na plataforma e a celebração de 28 contratos.

PUB

Coincide que, nesse mês, o Ministério das Infraestruturas e da Habitação procurou sensibilizar os agentes do setor para a adesão ao arrendamento acessível, tendo celebrado protocolos com "mais de uma dezena de plataformas e de agentes de mediação imobiliária". O pacote de seguros, que visa reduzir o risco de arrendamento para senhorios e para arrendatários, foi criado em janeiro deste ano.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG