Pandemia

Há 196 surtos de covid-19 ativos no país, 61% na região de Lisboa

Há 196 surtos de covid-19 ativos no país, 61% na região de Lisboa

A ministra da Saúde, Marta Temido, afirmou, esta segunda-feira, que permanece uma tendência decrescente de novos contágios de covid-19 na região de Lisboa e Vale do Tejo e que o rácio de transmissibilidade (RT) está em 0,94, com uma "evolução favorável".

Na conferência de imprensa de acompanhamento da pandemia, Marta Temido afirmou que continuam ativos 196 surtos em todo o país, 119 dos quais (61%) na região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT), 41 na região Norte, 13 no Centro e no Algarve e 10 no Alentejo, perfazendo 13205 casos ativos de covid-19.

Reportando-se a dados da aplicação Trace Covid - que apoia os médicos na gestão de casos - a maior percentagem de casos ativos do novo coronavírus encontra-se na RLVT, totalizando 67%, seguindo-se a região norte, centro e depois Alentejo e Algarve.

Para Marta Temido, a percentagem de casos ativos em Lisboa e Vale do Tejo (60,7%) é considerado "um padrão normal, face àquilo que é ainda a atual situação da pandemia", observando que "tem decrescido significativamente nos últimos dias".

Das 459 pessoas que se encontram internadas, entre as quais 45 em Unidades de Cuidados Intensivos, 84% encontram-se em hospitais da RLVT, e destas, 57% estão em unidades hospitalares da Aérea Metropolitana de Lisboa.

Entre as seis unidades hospitalares da região que receberam mais pessoas para internamento, a ministra destacou a "grande pressão" sofrida pelo Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, e Fernando da Fonseca, na Amadora.

Dos 50299 casos confirmados de pessoas que contraíram covid-19, detetados desde 2 de março, 70,3% pessoas já estão recuperadas, 25,5% estão doentes, mas a recuperar em casa, e 0,8% estão hospitalizadas.

Outro indicador epidemiológico fornecido na conferência de imprensa foi o índice de transmissão (RT) de covid-19, número médio de contactos infetados por uma pessoa, que se situou em 0,94, entre 19 e 23 deste mês, considerando Marta Temido que o risco está "numa trajetória de decréscimo paulatino a nível nacional".

Contudo, este índice varia no país, sendo o Alentejo a região onde o RT é mais elevado, com 1,09, seguido do Norte (0,86).

Em relação à taxa de incidência da doença, esta continua a baixar. Nos últimos sete dias, a taxa de incidência é de 14,9 novos casos por 100 mil habitantes e nos últimos 14 dias é de 33,8.

A ministra lembrou a publicação, na sexta-feira, de uma nova norma da Direção-Geral da Saúde sobre o rastreio de contactos das pessoas infetadas, sublinhando que é "absolutamente decisivo" para manter uma trajetória que dê conforto que o cumprimento rigoroso das medidas de prevenção da transmissão da covid-19.

Portugal regista hoje mais duas mortes e 135 novos casos de infeção por covid-19 em relação a domingo, segundo o boletim diário da Direção-Geral de Saúde (DGS).

De acordo com o boletim, desde o início da pandemia até hoje registaram-se 50.299 casos de infeção confirmados e 1.719 mortes.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG