Exclusivo

Há dispositivos médicos em risco de serem descontinuados

Há dispositivos médicos em risco de serem descontinuados

As empresas de dispositivos médicos estão a suportar o aumento dos custos de produção de milhares de produtos essenciais para o diagnóstico e tratamento dos doentes, cujos contratos de aquisição foram celebrados com os hospitais antes da conjuntura económica se deteriorar. A situação põe em risco a continuidade de alguns produtos no mercado e o acesso dos utentes às tecnologias de saúde.

"As empresas vêm dizendo que há produtos que não podem continuar a ser vendidos abaixo do custo", referiu, ao JN, o diretor-executivo da Associação Portuguesa de Dispositivos Médicos (Apormed). João Gonçalves diz que a situação é grave e, não sendo exclusiva de Portugal, pode levar a ruturas nacionais e internacionais. "Estamos a falar de milhares de dispositivos, desde a agulha até às próteses, que todos os dias são fornecidos aos hospitais. Pode haver produtos ou famílias de produtos que deixam de ter condições para serem comercializados".

Medidas são urgentes

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG