SNS

Hospitais perderam 540 mil consultas e 51 mil cirurgias até abril

Hospitais perderam 540 mil consultas e 51 mil cirurgias até abril

Até abril, os cuidados primários perderam mais de 800 mil consultas médicas face ao período homólogo de 2019. Nos hospitais ficaram por realizar 540 mil consultas e 51 mil cirurgias.

A informação foi prestada aos deputados da Comissão Parlamentar de Saúde, esta manhã de quarta-feira, pela ministra Marta Temido.

"Os números são imensos e estou preocupada com eles", admitiu a governante.

Marta Temido apelou aos portugueses para que voltem a ter confiança na utilização do SNS e adiantou que 36 hospitais já enviaram os seus planos de recuperação, reagendando 30% das cirurgias e 40% das consultas.

Sobre a forma como o Governo tenciona recuperar as cirurgias e as consultas que ficaram por fazer por causa da pandemia, a ministra disse que está a ser "equacionada uma melhoria da remuneração da produção adicional", ou seja, a atividade realizada para além horário normal. Marta Temido afirmou também que vai apostar em "modalidades remuneratórias que premeiem o desempenho".

Na intervenção inicial, a ministra afirmou que, com esta pandemia, o SNS teve "uma das suas maiores provas da sua existência", "descobriu a sua força e reinventou-se".

Na mesma audição, Marta Temido revelou que a contratação de 2628 profissionais de saúde por um período de quatro meses para enfrentar a pandemia covid-19 custou mais de 100 milhões de euros.

PUB

A contratação de recursos humanos para quatro meses tem um peso financeiro de mais de 100 milhões de euros, "independentemente de renovações futuras", afirmou a governante, depois de questionada sobre o impacto da covid-19 no orçamento da Saúde.

A ministra sublinhou que o reforço feito nos últimos anos permitiu ter um SNS mais pronto para responder a este momento difícil, destacando a injeção de 256 milhões de euros feita este ano para "compensar pagamentos em atraso".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG