Urgências

Hospital Amadora-Sintra pede desvio de doentes

Hospital Amadora-Sintra pede desvio de doentes

Pressionado com grande afluência ao serviço de urgência, o hospital Amadora-Sintra terá pedido ao INEM o desvio de doentes transportados por ambulâncias mas o pedido terá sido recusado.

O desvio de doentes terá sido pedido esta tarde de domingo para se prestar "melhor serviço aos utentes" mas terá sido recusado pelo Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) de Lisboa, ao final do dia, por todas as unidades hospitalares da capital estarem sob pressão, explicou fonte do Amadora-Sintra ao JN.

O hospital Professor Doutor Fernando Fonseca é uma das unidades hospitalares com mais episódios de urgência em todo o país. A sobrecarga no serviço de urgência manteve-se aliás elevada toda a semana, sendo que esta noite dois em cada três doentes (cerca de 65%) que deram entrada no hospital têm "pulseira verde ou azul" - ou seja, não urgentes. O tempo de espera pode, esta noite, prolongar-se por várias horas.

O JN tentou confirmar junto do INEM quantos hospitais de Lisboa pediram ao CODU desvio de doentes devido à sobrecarga do serviço por elevada afluência às urgências mas ainda não recebeu resposta.

O Hospital de Santa Maria não foi um dos casos, apesar de o serviço estar sob pressão, também devido à vaga de frio, continua a receber tanto doentes da sua área de referência como de outras unidades hospitalares, confirmou o JN.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG