Cancro

Hospital Santa Maria integra projeto europeu para testar "radioterapia Flash"

Hospital Santa Maria integra projeto europeu para testar "radioterapia Flash"

O Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte vai integrar um projeto europeu para testar a aplicação clínica de uma técnica inovadora, denominada "radioterapia Flash", em doentes com cancro de pele.

A "radioterapia Flash" permite realizar apenas uma sessão de tratamento em cada doente, refere o Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte (CHULN), constituído pelos hospitais Santa Maria e Pulido Valente, o único centro hospitalar português a integrar o consórcio internacional FLASHKNiFE.

Com um orçamento total de 8,2 milhões de euros, o consórcio internacional pretende introduzir na prática clínica o novo equipamento de radioterapia que se distingue pela possibilidade de utilizar tecnologia Flash, permitindo uma "resposta radiobiológica inovadora".

PUB

Para promover a aplicação clínica da radioterapia Flash, o consórcio irá realizar a partir de 2023 um ensaio clínico multicêntrico em cancro da pele.

Mais de 10 milhões de doentes são tratados anualmente em todo o mundo com recurso à radioterapia, uma ferramenta essencial para o tratamento do cancro, juntamente com a cirurgia e a quimioterapia.

No entanto, 30% a 40% dos doentes tratados são resistentes à radioterapia e os efeitos colaterais induzidos pela radiação limitam a dose de radiação administrada no tumor.

"O conceito da tecnologia Flash permite administrar uma elevada dose de radiação em microsegundos (400 vezes mais rápida do que a irradiação convencional), e observou-se redução da toxicidade em estudo pré-clínicos, sendo uma arma mais eficiente no tratamento do cancro", salienta o centro hospitalar.

O consórcio, cofinanciado pelo Instituto Europeu de Inovação & Tecnologia para a Saúde (EIT Health) e pelas instituições parceiras, está a desenvolver e testar um novo acelerador que pretende solucionar este desafio utilizando a radioterapia Flash.

"Este projeto da EIT Health tem vários fatores aliciantes que levaram à participação do CHULN, uma vez que reúne simultaneamente uma inovação biológica, uma inovação tecnológica, o FLASKNiFE, e capacidade de aplicar este tratamento de vanguarda para o paciente", destaca a diretora do Serviço de Radioterapia do CHULN, Filomena Pina, citada no comunicado.

O consórcio reúne instituições de grande relevo em toda a Europa, as quais trabalharão nos próximos três anos para atingir este objetivo: PMB, Alcen, Institut Gustave Roussy, Centro Hospitalar Lisboa Norte, Universitätsklinikum Erlangen e ProductLife Group.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG