Congresso do PSD

Hugo Soares diz que Rio comemora derrotas como o PCP

Hugo Soares diz que Rio comemora derrotas como o PCP

Hugo Soares criticou a estratégia de Rui Rio na oposição aos socialistas, acusando-a de "perversa", por encarar derrotas como se de vitórias se tratassem. "Não fomos, nem somos o PCP. Somos o PSD, quando perdemos, perdemos", atirou.

O ex-líder parlamentar do PSD apontou baterias, este sábado, ao discurso de abertura do congresso feito por Rui Rio - que avisou os críticos internos que não vai mudar a sua estratégia seguida nos últimos dois anos. Hugo Soares avisou que não irá mudar de opinião sobre o presidente do partido, mesmo após a derrota de Luís Montenegro, e pôs a tónica na derrota do PSD nas legislativas.

"Não é o resultado eleitoral que me faz mudar o pensamento e convicções. Quando nos movemos por convicções não são os resultados que limitam a nossa intervenção", disse, um dos mentores da corrida de Luís Montenegro à presidência do PSD. "Não esperem que tenha mudado de opinião", avisou, sublinhando que "depois de ouvir a intervenção de Rui Rio" manteve o mesmo espírito.

"Dizia o presidente do PSD que nas ultimas eleições legislativas os dois maiores partidos saíram reforçados. Ora, o PSD perdeu eleitores, o PSD perdeu deputados, o PSD perdeu as eleições. O PS saiu reforçado, 'ponto'. [O PS] Ganhou as eleições não ganhou em 2015. E é aqui que quero dizer ao presidente do PSD: nós no PSD não nos congratulamos com as vitórias do António Costa", disse.

Entre apupos e aplausos

"Nós carpimos as mágoas das nossas derrotas mas olhamos em frente para voltar a conquistar a confiançaa dos portugueses. Não não somos,nunca fomos nem queremos ser o PCP, nós somos o PSD: quando perdemos, perdemos. Não transformamos derrotas copiosas em vitórias eleitorais", acenou, arrecadando alguns aplausos ao congresso.

Mas foi quando Hugo Soares defendeu que "é hora de deixarmos de ser socialistas de segunda". que a sala se dividiu entre aplausos e apupos. "Nós não somos socialistas, somos social-democratas", disse, acabando por dividir o congresso entre apupos e aplausos. "Quero dizer aos congressistas que quer aplausos quer assobios são sempre música para os meus ouvidos", ironizou.

PUB

"Estou de bem com a vida, nunca votei, nunca votarei num partido diferente do PSD. Este é o meu partido e peço ao presidente do PSD que transforme o dr. António Costa no seu verdadeiro adversário", concluiu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG