Covid-19

IL defende que vacinação não fique só nas mãos do SNS

IL defende que vacinação não fique só nas mãos do SNS

"É importante que os portugueses consigam celebrar o Natal", disse esta quinta-feira à saída do Palácio de Belém, o deputado João Cotrim de Figueiredo. A Iniciativa Liberal (IL) defende que a vacinação contra a covid-19 não fique exclusivamente atribuída ao Serviço Nacional de Saúde.

"Quanto mais depressa as pessoas forem vacinados, quanto mais depressa se atingir a imunidade de grupo, mais depressa voltaremos à vida social e económica normal. E aqui o custo de atrasarmos a recuperação é certamente superior ao custo de termos uma solução robusta e rápida relativamente à vacinação", sublinhou à saída da audiência com o presidente da República.

João Cotrim de Figueiredo foi o primeiro a ser ouvido por Marcelo Rebelo de Sousa sobre a renovação do estado de emergência. À margem desse tema, o deputado defendeu que restringir as entidades (SNS) que possam vacinar é atrasar esse plano e consequentemente o processo de recuperação económica.

Relativamente ao Natal, o deputado da IL considera importante ​​​​que seja acautelada a oportunidade de as famílias puderem celebrar o Natal. Deve haver, defendeu, relaxamento nos limites de circulação entre concelhos, nos horários do recolher obrigatório e a Direção-Geral da Saúde deve comunicar as regras para as festividades familiares.

O partido, esclareceu, vai voltar a votar contra a renovação do estado de emergência amanhã no Parlamento. Sábado o Governo anunciará as novas medidas que irão vigorar até janeiro.

O atual estado de emergência termina às 23.59 horas da próxima terça-feira, dia 8 de dezembro.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG