Exclusivo

Imigrantes percorrem o país à procura de trabalho sem garantia de condições

Imigrantes percorrem o país à procura de trabalho sem garantia de condições

Imigrantes pagam quantias avultadas para chegar e andam com cobertores e almofadas de terra em terra.

Gursehajpal Singh, natural da India, emigrou para Portugal há cerca de ano e meio em busca de uma vida melhor. Nos últimos tempos, trabalhou na apanha da uva em Leiria. Soube que precisam de gente em Odemira e, no início desta semana, não hesitou em meter-se dentro de um autocarro. Partiu sem saber quanto iria ganhar ou onde iria dormir. Só tinha a promessa de ver os seus impostos pagos. Como ele, muitos mais imigrantes andam pelo país atrás de promessas e sem garantias.

"Eu trabalho para viver. Sem trabalho, como é que as pessoas pagam os impostos ao Governo? E, se não pagarem, como é que obtêm a residência temporária em Portugal?". Na esperança de conseguirem residência temporária, Gursehajpal Singh e o colega embarcaram no autocarro 78, em Sete Rios. São muitos os que lutam por autorizações de residência, números de contribuinte e segurança social. Pagam balúrdios, ainda no seu país, a empresas de recrutamento, que lhes vendem promessas de emprego. Para ele e o seu colega, a estadia em Odemira foi curta: recusaram ficar devido ao surto de covid e regressaram no dia a seguir a Lisboa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG