Exclusivo

Incêndios grandes são cada vez mais severos

Incêndios grandes são cada vez mais severos

Observatório Independente analisou fogos desde 2001. Número de ignições de maior dimensão está a baixar, mas consequências são mais devastadoras.

Nos últimos três anos, a probabilidade de ocorrência de um incêndio de grandes dimensões baixou significativamente, em comparação com os anos anteriores. Há menos incêndios de grande dimensão (acima de 100 hectares), mas, quando acontecem, são mais devastadores, concluiu o Observatório Técnico Independente para análise, acompanhamento e avaliação dos incêndios florestais e rurais que ocorram no território nacional.

O relatório da equipa de investigadores, a que o JN teve acesso e que já foi entregue na Assembleia da República, analisou os indicadores de desempenho do Sistema de Defesa da Floresta contra Incêndios na transição para o Sistema de Gestão Integrada de Fogos Rurais (2018-2020). No documento, lê-se que "as melhorias na prontidão e combate aos incêndios foram visíveis na menor probabilidade da ocorrência de fogo rural exceder um hectare de dimensão em 2018-2020". A probabilidade de deflagração de fogos que consumam mais de 100 hectares de área também diminuiu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG