Premium

Indústria prepara novos formatos de tabaco para seduzir jovens e iludir pais

Indústria prepara novos formatos de tabaco para seduzir jovens e iludir pais

Indústria prepara novos formatos tecnológicos e indetetáveis pelos pais para seduzir os jovens. Médicos confirmam transferência para novos produtos, na "ilusão" de que têm menos danos.

Menos cigarros, charutos, tabaco de enrolar e outros tabacos de fumar, incluindo para cachimbo de água, foram vendidos no ano passado. Só se fumaram mais cigarrilhas e duplicaram as vendas de líquidos com nicotina para cigarros eletrónicos, cuja receita fiscal passou de 682 mil euros em 2017 para quase 1,4 milhões em 2018. A receita fiscal com o imposto sobre o tabaco desceu mais (-5,29%) do que os produtos introduzidos no consumo (-2,96%), fruto da alteração de hábitos para produtos menos taxados e a circulação durante o primeiro trimestre de tabacos com estampilha do ano anterior.

"Em 2018, houve tabaco com imposto pago no ano anterior a circular até final de março, pode ter afetado os valores do ano", explica Afonso Arnaldo, fiscalista da consultora Deloitte. "Além disso, o ad valorem, sendo um elemento variável do imposto em função do preço médio de venda, pode ter descido por as pessoas terem mudado para marcas mais baratas, resultando em menor receita fiscal", acrescentou.

Outros Artigos Recomendados