PAN

Inês Sousa Real: governos "têm falhado" na melhoria da qualidade de vida

Inês Sousa Real: governos "têm falhado" na melhoria da qualidade de vida

A candidata única à liderança do PAN, Inês Sousa Real, afirmou que os sucessivos governos "têm falhado" na proteção da qualidade de vida, do ambiente e da vida animal. A deputada propõe aos militantes uma "mudança de paradigma" e uma "alternativa aos modelos de governança".

"Muitos diziam que éramos um epifenómeno. Lamentamos defraudar", afirmou a deputada no Congresso do PAN, em Tomar. "São cada vez mais os eleitores e eleitoras que se identificam com o ideário do PAN", sustentou, recebendo aplausos de toda a sala.

Inês Sousa Real referiu que as restantes forças políticas já provaram que "claramente não dão resposta aos problemas do presente e, mais ainda, do futuro". Embora o mundo viva "um momento absolutamente decisivo" em termos ambientais, Portugal "carece de um plano e de uma visão macro" para enfrentar esses desafios, considerou.

A Moção Global Estratégica que a candidata à liderança do PAN apresenta ao Congresso propõe uma "mudança de paradigma" que pretende estancar o "declínio da biodiversidade", algo visto como "absolutamente urgente".

Nesse sentido, Sousa Real pretende iniciar uma "transição para modelo económico mais justo para todas as pessoas". Em particular, destacou a importância de os jovens terem "algo mais do que apenas precariedade" como perspetiva de vida.

Um partido que evoluiu mas mantém a "razão" e o "coração"

PUB

A parlamentar descreveu a sua moção como uma "alternativa aos modelos de governança". Nos próximos dois anos, compromete-se a defender "um modelo de desenvolvimento mais próximo das necessidades das populações", visando a construção de uma sociedade ""mais empática, de maior justiça e de maior valor".

"O PAN de hoje não é, felizmente, o PAN de há 10 anos", afirmou Sousa Real. Aludindo às várias conquistas e a "alguns dissabores" vividos ao longo da década que o partido tem de vida, referiu que este é sobretudo feito de "razão e coração", duas características "que tantas vezes faltam à política".

A futura líder do PAN falou ainda na necessidade de se "abolir práticas anacrónicas como as touradas, que já não deviam ter lugar em pleno séc. XXI".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG