Saúde

Tratamento com células estaminais em casos graves de covid ainda sem autorização em Portugal

Tratamento com células estaminais em casos graves de covid ainda sem autorização em Portugal

Terapia já utilizada em países da Europa e nos EUA revelou que estas células conseguem reverter cenários de hiperinflamação e ajudaram vários doentes graves a recuperar.

O Infarmed revelou em resposta ao JN que a empresa Crioestaminal, a desenvolver uma terapia experimental à base de células do cordão umbilical para o tratamento de situações graves de infeção por SARS-CoV-2, ainda não tem qualquer autorização para introdução no mercado em Portugal do medicamento ou para uso num ensaio clínico ou hospitalar.

O regulador do medicamento adianta que foi dada uma autorização ao fabricante Stemlab, associado da Crioestaminal, para a utilização, em junho de 2021, de "um medicamento experimental de terapia avançada à base de células mesenquimatosas, para utilização deste medicamento numa entidade hospitalar do SNS", mas que esta não foi concedida para tratamento de covid.

Segundo explicou, ao jornal Público, Francisco Santos, diretor de terapias celulares da Crioestaminal, concluiu-se que as células estaminais "conseguiam reverter os cenários de hiperinflamação e bastantes doentes recuperaram". "Já há uma extensa lista de publicações científicas sobre isto e ao longo de 2020 as células mesenquimais acabaram por entrar em ensaios clínicos em vários países da Europa e nos EUA", acrescentou.

De referir ainda que uma das vantagens do tratamento reside no facto de não ter de existir compatibilidade biológica entre as células e o doente recetor.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG