Saúde

Infarmed vai suspender tratamento com hidroxicloroquina em doentes com covid-19

Infarmed vai suspender tratamento com hidroxicloroquina em doentes com covid-19

A Autoridade Nacional do Medicamento vai suspender o tratamento com hidroxicloroquina em doentes com covid-19. A OMS já tinha suspendido temporariamente esta semana os ensaios clínicos com este medicamento.

A informação foi avançada pelo vice-presidente do Infarmed, António Faria Vaz, à rádio "Antena 1". "O Infarmed recomenda, por questões de segurança, que não deve ser utilizada a hidroxicloroquina ou a cloroquina até ao pleno esclarecimento e até aos resultados dos diversos estudos publicados quanto ao seu risco", disse. O JN já confirmou esta informação com o Infarmed e vai divulgar uma orientação para os hospitais portugueses.

A revista científica "The Lancet" divulgou um estudo a 22 de maio, na passada sexta-feira, onde sugeria que medicamentos contra a malária como cloroquina e hidroxicloroquina poderiam aumentar o risco de morte e arritmias em doentes hospitalizados com covid-19.

Já esta segunda-feira, a Organização Mundial de Saúde (OMS) suspendeu temporariamente os ensaios clínicos com hidroxicloroquina. "Os dados dos estudos observacionais podem ser enviesados. Queremos usar [a hidroxicloroquina se for segura e eficaz, se reduzir a mortalidade e os internamentos e se os benefícios forem mais do que os danos", disse Soumya Swaminathan, cientista sénior da OMS.

Vários países suspenderam o tratamento com antimalárico em doentes com covid-19, como França ou o Panamá, e outros tantos continuam a administrar o medicamento em doentes infetados, como por exemplo, o Senegal. O presidente dos Estados Unidos da América e do Brasil tem-se afirmado como fiéis defensores da hidroxicloroquina. E até Donald Trump admitiu que tomava o fármaco.

Outras Notícias