Exclusivo

Interior tem fé nos nómadas digitais

Interior tem fé nos nómadas digitais

Para atrair profissionais que trabalham à distância, territórios despovoados precisam de ter boa rede e garantia de bem-estar.

Os nómadas digitais poderão contribuir para atenuar o despovoamento galopante do Interior do país. São pessoas que têm o escritório num computador portátil e podem trabalhar em qualquer lado. Regiões como Trás-os-Montes, Douro e Beiras podem ser opção para naturais que queiram regressar, para descontentes com a vida na grande cidade, para os que prefiram fazer teletrabalho em territórios mais tranquilos, ou para os que elegem locais específicos em busca de inspiração para um projeto. Mas há uma condição incontornável: uma boa rede de Internet.

"É aqui que entra o 5G, que vai trazer oportunidades fantásticas", realça, ao JN, Diogo Reffóios Cunha, fundador da Nómada Digital Summit. Na sua opinião, desde que exista no Interior, "poderá haver condições para que este tipo de trabalhadores se instale", mesmo que seja apenas temporariamente.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG