Balanço

43 mortes por afogamento no primeiro semestre

43 mortes por afogamento no primeiro semestre

A maior parte das mortes por afogamento em Portugal no primeiro semestre ocorreram em rios, seguindo-se o mar e poços. Ao todo, 43 pessoas perderam a vida.

Por local do acidente: 32,6% das mortes aconteceram em rios; 25,6% no mar e 23,3% em poços, revela a Federação Portuguesa de Nadadores Salvadores (FEPONS). O relatório, divulgado esta sexta-feira, revela ainda que 76,7% das vítimas foram homens, 58,1% tinham mais de 40 anos de idade e que mais de metade (51,2%) dos episódios ocorreram durante a tarde.

O levantamento das nadadores salvadores destaca ainda que em apenas 9,4% das ocorrências houve tentativa de salvamento. E a FEPONS aproveita para alertar para a campanha "Frequente Espaços Aquáticos Vigiados".

Os distritos que reuniram mais casos foram Faro e Lisboa. E quase um terço (30,2%) registaram-se no mês de junho.

Comparando com período homólogo do ano passado, houve uma descida total de óbitos na ordem dos 18,9% (33 vítimas).