Nacional

Artur Agostinho condecorado com a Ordem de Sant'Iago da Espada

Artur Agostinho condecorado com a Ordem de Sant'Iago da Espada

Três dias depois de completar 90 anos, Artur Agostinho foi hoje, terça-feira, agraciado com a Comenda da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada, num dia que classificou como "um dos mais felizes" da sua vida.

"Realmente foi um dos dias mais felizes da minha vida, felicidade, emoção, alegria, todas as coisas boas da vida me aconteceram hoje, incluindo a entrega da comenda e por causa da entrega da comenda", afirmou Artur Agostinho aos jornalistas, minutos depois de ter sido agraciado pelo presidente da República, numa cerimónia no Palácio de Belém.

Confessando que de entre todas as homenagens que foi recebendo ao longo dos 72 anos de carreira "esta tem um significado especial", Artur Agostinho sublinhou a presença na cerimónia de muitos que fizeram parte da sua "família da comunicação social", mas também dos "rapazes do futebol" do seu tempo, actores e cantores.

"Senti-me hoje perfeitamente à vontade no meio de uma grande família que tenho, que eu estimo muito e a que eu espero continuar a pertencer enquanto for vivo", disse Artur Agostinho, que admitiu ser um "privilegiado" por fazer aquilo que gosta. "Não tenho reclamações a fazer", gracejou.

Em jeito de aviso bem-humorado, Artur Agostinho deixou ainda um 'recado' aos seus amigos no Facebook, lembrando que não pode passar os dias a falar com eles, porque "felizmente" tem "mais do que fazer".

Na cerimónia de imposição das insígnias, o presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, destacou a "extraordinária carreira" de Artur Agostinho, "uma pessoa da casa de milhões e milhões de portugueses, conhecido por avós, por pais e por netos" e "um comunicador nato".

"Gerações e gerações beneficiaram dos seus momentos de entretenimento sadio, da sua boa disposição", recordou, lembrando a forma como Artur Agostinho entrava "pela casa dentro" com a sua "presença agradável", acabando por ser "como um membro da família".

Elogiando o seu carácter sério e genuíno, Cavaco Silva lembrou ainda os relatos de acontecimentos desportivos "épicos" realizados por Agostinho Agostinho, a forma como apresentava acontecimentos de gala ou concursos.

"Um verdadeiro profissional, um homem que sabia fazer aquilo que os portugueses queriam de facto que ele fizesse", acrescentou, salientando ainda o facto de Artur Agostinho não guardar rancores, nem se "armar em vedeta". "Foi sempre aquilo que ele quis ser: genuíno", frisou.

A assistir à cerimónia de condecoração de Artur Agostinho estavam dezenas de figuras ligadas ao desporto, como Eusébio, ao Teatro, nomeadamente Simone de Oliveira, da rádio e da televisão, como Júlio Isidro e António Sala, entre muitos outros.

ver mais vídeos