Pedrógão Grande

Explosão de botija de gás terá sido confundida com queda de avião

Explosão de botija de gás terá sido confundida com queda de avião

Operacionais que estão no terreno garantiram, ao JN, que não encontraram destroços nem viram sinais de qualquer avião caído no local apontado para a queda de um Canadair.

A notícia de que um avião Canadair de combate aos incêndios, que operava no fogo de Pedrógão Grande, na zona Ouzenda, tinha caído foi dada por fonte da Proteção Civil portuguesa à agência Lusa.

Também o Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários (GPIAAF) indicou à Lusa que foi informado da queda da aeronave na zona de Pedrógão Grande, durante esta tarde, acrescentado que uma equipa deste organismo deslocou-se para o local para, em conjunto com a Proteção Civil, proceder às operações.

Pouco depois, o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, afirmou não ter conhecimento oficial de qualquer acidente envolvendo um avião.

Também a agência espanhola EFE noticiou a queda de um Canadair e garantiu que o avião seria português e não espanhol, como indicaram as primeiras informações. Já fonte da Proteção Civil portuguesa especificava que o aparelho não era nenhum dos dois Canadair contratados por Portugal.

Mais tarde, o comandante Vítor Vaz Pinto, da Proteção Civil, disse ter havido um relato de uma explosão de uma botija de gás numa rulote, cujo estrondo, poderá, eventualmente, ter sido confundido com a queda de um avião.

A Estrada Nacional 2 está cortada em Venda da Gaita em direção a Álvares, Góis, na sequência do alegado acidente. A aldeia de Ouzenda também foi evacuada.

Em Pedrógão Grande, estavam a operar aviões Canadair espanhóis e franceses, daí as primeiras informações apontarem para um avião espanhol.

ver mais vídeos