Lisboa

Bebé nasceu de mãe em morte cerebral desde fevereiro

Bebé nasceu de mãe em morte cerebral desde fevereiro

Um bebé nasceu, esta tarde de terça-feira, após uma cesariana no Centro Hospitalar de Lisboa Central realizada a uma mulher que estava em morte cerebral desde fevereiro. É um recorde de sobrevivência de um feto nestas condições.

O bebé - um menino - nasceu com 2350 quilogramas, após uma gestação de 32 semanas, sem complicações durante e após o ato cirúrgico, informou o Centro Hospitalar Lisboa Central (CHLC) num comunicado enviado às redações. A cesariana foi realizada pelas equipas de Obstetrícia e da Unidade de Neurocríticos daquela unidade do Serviço Nacional de Saúde.

Após o parto, a criança foi internada na Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais do mesmo hospital.

De acordo com o CHLC, a morte cerebral da mãe, S., de 37 anos, na sequência de uma hemorragia intracerebral, foi declarada no dia 20 de fevereiro, pelas 23.43 horas.

"Perante a gravidez em curso, S. foi avaliada pela especialidade de Obstetrícia, que considerou que o feto se encontrava em aparente condição de saúde. Após parecer da Comissão de Ética e direção clínica do CHLC e numa decisão concertada com a família de S. e família paterna da criança, foi acordada a manutenção da gravidez até às 32 semanas, por forma a garantir a viabilidade do feto", refere o comunicado.

Para o efeito, o Conselho de Administração procedeu à nomeação de um Conselho Científico para acompanhamento do processo, em cuja composição se integrou um representante da Ordem dos Médicos, um representante da Comissão de Ética, um obstetra e a equipa de intensivistas.

De acordo com as equipas médicas que acompanharam o caso, acrescenta o CHLC, trata-se do período mais longo alguma vez registado em Portugal - 15 semanas - de sobrevivência de um feto em que a mãe está em morte cerebral.