Política

CDS enaltece esforço da PSP apesar da escassez de meios e de pessoal

CDS enaltece esforço da PSP apesar da escassez de meios e de pessoal

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, enalteceu, na terça-feira, o trabalho desenvolvido pela Polícia de Segurança Pública (PSP), apesar da "escassez de meios" e de pessoal, que dificulta o trabalho dos agentes.

"Tivemos oportunidade de ter uma reunião longa com o Comando Metropolitano de Lisboa para não só apoiar o trabalho que têm vindo a fazer e reconhecer o esforço que fazem com, muitas vezes, uma grande escassez de meios, mas também ouvi-los sobre, precisamente, as condições em que os polícias desenvolvem o seu trabalho", disse Assunção Cristas aos jornalistas no final do encontro.

A líder do CDS-PP considerou "muito impressionante que, entre 2011 e 2018, a PSP tenha perdido nesta zona, neste Comando Metropolitano de Lisboa, que vai desde Torres Vedras até à Grande Lisboa, cerca de mil agentes".

"É muito", salientou.

Para o CDS-PP, a segurança "é certamente uma área importante", é a que garante a liberdade para todos viverem como gostam de viver, "com liberdade, com tranquilidade, com serenidade", acrescentou.

Assunção Cristas assinalou também que existe um "grande problema dos recursos materiais, como seja a falta de viaturas, a falta de equipamentos até de proteção individual, para além das dificuldades muitas vezes com que os agentes se deparam na sua vida todos os dias, com dificuldades muito grandes".

Dando o exemplo de que em Sintra, "durante muito tempo", existiu "apenas um ou dois carros para cobrir toda aquela zona", Assunção Cristas salientou que, "de facto, é difícil conseguir corresponder, por muito esforço que se queira fazer".

"O CDS no último Orçamento do Estado apresentou um conjunto muito relevante de propostas para reforço dos meios, para reforço da abertura de concursos, de maneira a termos mais gente na PSP", referiu.

Apontando que há "muito trabalho para fazer e poucos agentes para o poderem fazer", a centrista apontou ainda que, "com mais meios humanos, tudo é certamente melhor".

Mas, Assunção Cristas disse que também ouviu "situações exatamente ao contrário, de muitos elogios, de muito reconhecimento" ao trabalho da PSP.

Questionada sobre se iria ao Bairro da Jamaica, no concelho Seixal, onde recentemente aconteceram incidentes com a PSP, a líder centrista respondeu: "Eu visito muitíssimos bairros de norte a sul do país e, portanto, não é de excluir nenhuma visita".

Já sobre o porquê de ter decidido visitar primeiro a PSP, a presidente do CDS-PP adiantou: "Vim primeiro à PSP, como fui há bastante pouco tempo à Polícia Judiciária", cujos inspetores têm uma greve prevista para amanhã [quarta-feira]".