Parlamento

CDS faz 30 perguntas ao Governo sobre incêndio no Túnel do Marão

CDS faz 30 perguntas ao Governo sobre incêndio no Túnel do Marão

O CDS-PP dirigiu ao Governo quase 30 perguntas sobre o acidente de domingo no Túnel do Marão, nomeadamente se as consequências poderiam ter sido evitadas com as equipas operacionais no local, em vez de estarem em Almada.

As perguntas sobre o acidente em que um autocarro de passageiros se incendiou e foi completamente consumido pelas chamas dentro do túnel são dirigidas ao ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, numa iniciativa parlamentar subscrita pelos deputados centristas Pedro Mora Soares, Hélder Amaral, Cecília Meireles, Álvaro Castello-Branco e Ana Rita Bessa.

Uma das questões que os deputados colocam é se as equipas operacionais estivessem na proximidade do túnel, concretamente nas entradas, como acontecia até dezembro de 2016, e não deslocalizadas em Almada, "poderia ter evitado a dimensão do incidente e o desfecho poderia ter sido mais favorável".

O CDS-PP questiona a tutela sobre vários aspetos de segurança, desde a funcionalidade do plano de emergência, à operacionalidade de equipamentos, avisos para evacuação e quem é o responsável por acionar esses alertas.

O partido quer também saber se as entidades responsáveis pela segurança atuaram coordenadamente e de imediato e se houve alguma limitação no acesso ao túnel.

Quanto tempo passou desde o primeiro alerta até à chegada dos meios de combate a incêndio é outra das perguntas do CDS-PP que quer ainda saber quanto demorou a operação de socorro e se "é compreensível que o autocarro tenha sido totalmente consumido pelas chamas (ficando reduzido à sua carcaça metálica)".

"Não teria sido possível atuar mais prontamente e evitar que chegasse a este estado tão extremo de destruição?", perguntam os centristas que questionam ainda se houve "alguma falha no abastecimento de energia durante este incidente".

Entre as várias perguntas, o CDS-PP quer saber se o sistema de extração (de fumos) funcionou tal como previsto e se os danos registados na infraestrutura poderiam ter sido evitados se a resposta tive sido mais célere.

O partido quer saber quando será restabelecida em pleno a circulação no Túnel do Marão e se a tutela "ainda considera que as condições de segurança daquela infraestrutura estão garantidas".

O CDS-PP pergunta ainda ao Governo se pretende colocar novamente no local os operadores e se serão tomadas medidas para melhorar a operacionalidade da segurança e do socorro.

Um incêndio num autocarro com 20 passageiros, da empresa Rodonorte, dentro do Túnel do Marão, ao quilómetro 74 da autoestrada do Marão, entre Amarante e Vila Real, obrigou, no domingo, ao corte do trânsito em ambos os sentidos, mas não causou vítimas.

O trânsito foi retomado no sentido Vila Real/Amarante na segunda-feira, mas a normalização da circulação nos dois sentidos poderá só estar restabelecida "dentro de alguns dias", informou a IP.

O PSD anunciou, na segunda-feira, que vai chamar ao Parlamento o secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme Martins, e o presidente da Infraestruturas de Portugal (IP), António Laranjo, para prestarem esclarecimentos sobre o incidente.

No mesmo dia, o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, ordenou à Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) a abertura de um inquérito.